Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Pergunta e resposta

26/05/2020

 

A uma pergunta de uma repórter, da possibilidade de ocorrer um golpe militar no Brasil, o vice-presidente da República, general Antonio Hamilton Martins Mourão, respondeu: “Não existem possibilidades de golpe de estado. Existe sim, de contra-golpe, se existir tentativa de golpe”. Foi curto e grosso...

O Brasil vive numa indecente encruzilhada política. Podem chamar de tudo o momento político nacional, menos de democracia. Vivemos numa espécie de esculhambação, numa chamada “casa de Maria Joana”, num formidável puteiro, onde quem manobram com a casa de “tolerância” são verdadeiros escroques, refinados ladrões, prostitutas e proxenetas das piores qualidades e procedências, cada qual de folha corrida mais extensa, cagando regras como se fossem donos da pátria, quando nem donos do puteiro, são.

A imprensa (nossa imprensa encontra-se nos seus últimos estertores), quer porque quer, com ajuda da máfia política, derrubar o presidente regularissimamente eleito Jair Messias Bolsonaro, porque cortou todas as verbas que engordavam esses periódicos fajutos que com dificuldades tiram hoje 40.000 exemplares, se muito. A Revista Veja, que ostentava há dez anos uma tiragem de 1.191.929 exemplares (em 2012), por quinzena, pertencente a um grupo que praticamente faliu, foi destruída com a morte do seu dirigente, passando a um periódico de quinta categoria, como é presentemente, pela dubiedade na condução de suas afirmações jornalísticas, como de resto, todos periódicos. No mundo, não é diferente...

Essa nossa imprensa resiste firmemente no propósito de demolir, a qualquer custo, o governo do presidente Jair Messias Bolsonaro. Vai ser difícil, mesmo buscando os mais estúpidos argumentos, até porque ele, o presidente, não respeita o “isolamento”, proposto por um imbecil que os chineses colocaram na condução de secretário geral da OMS, o etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus, formado em guerrilheiro, sem formação cultural, científica, em nada, manobrando com um orçamento de milhões de dólares, para comandar a mentira, a destruição da economia, do emprego de milhões.

O vice-presidente Hamilton Mourão deu o recado. Quem quiser duvidar, que se habilite.


 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Pensando no futuro II

25/05/2020

 

Nesse pandemônio em que vive a política nacional, onde vicejam os mais imorais aproveitadores da vida pública, quando pensamos que está tudo liquidado, que os homens chegaram a um ponto de corrupção tão degradante que nada dá jeito, a não ser a intervenção militar, dura e honesta, surpreende-nos alguns de boa vontade, altruístas, honestos, pensando no futuro da Nação, do estado, do Município.

 

Agora, recente, diante da grave crise mundial, com a presença do coronavírujs, de procedência chinesa, onde o desemprego assola de forma implacável as classes trabalhadoras e, incrível, no funcionalismo público e muito menos políticos não acontece nada, mesmo sendo a maior fonte sorvedouro de recursos públicos, surge no município de Domingos Martins onde, creio, a custo da força da livre iniciativa, vai despontar um dos grandes centros de turismo do país, a figura do vice-prefeito Romeu Littig Stein propondo a reforma salarial dos vereadores. Hoje, os 13 vereadores municipais percebem R$ 6.970,00 mensais, sendo que o presidente da Câmara, que é o ordenador de despesas, perceba mais 100% além dos subsídios do vereador. Com a redução proposta pelo vice-prefeito, semelhante à idéia anterior do vereador João Gagno, cada vereador passaria a receber apenas R$ 2.000,00, possibilitando ao município uma economia anual de R$ 1.941.324,00 em 4 anos, dando equilíbrio aos gastos públicos municipais. Ressalta o vice-prefeito que a Câmara, anualmente, devolve ao município R$ 2.000.000,00 (dois milhões) do seu orçamento, de despesas não realizada.

 

O município de Domingos Martins, de colonização basicamente alemã, vive da produção de hortifrutigranjeiros e do turismo de montanha, devendo se transformar, devido a proximidade da capital, como Guarapari, em importante centro catalizador do turismo de montanha mas, para tanto tem que ser conduzido por gente inteligente, capaz, com idéias avançadas de alguns vereadores e do vice-prefeito Stein, engenheiro de formação, empresário e com uma invejável capacidade de trabalho. Com a duplicação da BR 26, o salto para o futuro, de Domingos Martins está perto, mas seu povo tem que melhorar a qualidade de sua classe política, como de todo nosso Estado, votando, escolhendo representantes melhores.

 

 

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2340 2339 2338 2337 2336 2335 2334 2333 2332 2331   Anteriores »