Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Artistas sem muita arte.

22/07/2019

 

Quem conhece a política capixaba sabe que ela é cheia de fuxicos, de traição e leviandades.

 

Sabe-se, mas ninguém diz, por puro medo de represálias que, nas eleições anteriores, onde o governador da época, Paulo Hartung, abandonou a candidatura de Ricardo Ferraço para abraçar a de Renato Casagrande, ferindo de morte seu vice-governador que, embora debilitado pelo revés, conseguiu se eleger senador, despontando como um dos melhores de sua época. Sabe-se, também, que a guinada do sr. Hartung seria uma espécie de “neutralidade”, por parte do sr. Casagrande, até com aquela ponta de esperança de ver o término do “famoso” Cais das Artes, construção inacabada que liquidou com ele politicamente, por ter desmistificado sua condição de governante visionário...

 

A notória idiossincrasia nutrida pelo srs. Hartung e Casagrande (um pelo outro) deu no que deu. Hartung cozinhou o bote para derrubar Casagrande, para que ele não se elegesse para um segundo mandato, por não ter tocado para frente as obras do Cais das Artes e por tentar destruir sua reputação (briga de socialistas imitando clube de lavadeiras de beira de rio) e, foi assim que o sr. Renato Casagrande também amargou quatro anos de ostracismo político, assistindo o empurrar com a barriga (Hartung é maquiavélico) seus amigos de partido, como Luciano Rezende, prefeito de Vitória, que assistiu até agora a tragédia das obras da Leitão da Silva, uma pequena avenida da ilha de Vitória que tem servido para uma porção de coisa da política., inclusive destruição das empresas que estavam ali instaladas que, ou quebraram ou tiveram de mudar de endereço.

 

Agora, numa espécie de desespero para aparecer, o governador Renato Casagrande anuncia aos quatro ventos que a “Leitão da Silva vai ser liberada hoje (dia 16.07), uma obra que se arrasta há cinco anos, mas que ainda não está pronta, o que deve acontecer lá para novembro, quando ocorrerá a inauguração oficial.

 

Duas obras, dois problemas. O Cais das Artes., que deve caminhar para sua demolição, pela incapacidade do estado em gerir um elefante de proporções gigantescas. Nem dinheiro do pré-sal suportaria os custas de manutenção. A av. Leitão da Silva, um crime que se cometeu contra importantes empresas ali instaladas tem anúncio de funcionamento precário, mas que será inaugurada em definitivo até novembro. Esqueceram de falar, de que ano? Quarenta empresas ali instaladas fecharam suas portas, comenta o presidente da Associação Comercial Wellington Gonçalves dos Santos.

 

Enquanto tudo isso ocorre, nosso prefeito Luciano Rezende vai treinando andar de patinete, até surgir um novo prefeito, já que ideias são raras.

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Mudanças necessárias.

21/07/2019

 

Pelo que sei, acompanho, leio e observo da política brasileira, a eleição do sr. Jair Messias Bolsonaro vai transformar a vida da nação, nesses próximos quatro anos (ou três anos e meio, pela frente), do seu mandato.

 

A transformação política do Brasil, mercê de uma conscientização nacional, do esforço que será feito para destruir a burocracia que desgraça com o país desde os tempos das Capitanias Hereditárias, com a distribuição de cartórios, carimbos diversos, mudará o Brasil, dará condições ao povo para conhecer o que seja igualdade, como reza na Constituição, mas as próprias autoridades ignoram.

 

Temos que educar o eleitor brasileiro para extinguir, com a arma do seu voto, a classe política existente, perdulária e ladrona.

 

“A terra é plana”, admitem 7% de analfabetos: por incrível como possa parecer, os dados oficiais apontam que o país tem 72% de analfabetos funcionais; temos mais de 60 milhões de brasileiros na informalidade ou sem empregos formais, que abandonaram os sertões em busca de oportunidades melhores à beira do mar, rios e lagos, e encontraram o estado de miséria em que se encontram. É preciso repensar o Brasil, educar essa gente, para que possa ser respeitada.

 

É preciso mudar o sistema político, por um fim a quase 40 partidos políticos, cada qual pior do que o outro, cheios de velhacos, aproveitadores e corruptos, onde as pessoas decentes, de ideais e ideias não podem entrar.

 

Assistimos, faz bem pouco, episódios os mais indecentes na votação das alterações da Legislação da Previdência Social, onde o governo teve que ceder, para que o Brasil não continuasse por mais um largo período mergulhado num imenso déficit público, pela incapacidade dos nossos dirigentes,

 

Parte da sociedade, infelizmente uma grande parte, ainda não absorveu a importância de Luiz Inácio Lula da Silva e Temer estarem presos, mesmo com a justiça inteiramente descompromissada com o direito.

 

Se tentarem mudar esse caminho que está sendo traçado pela nova política nacional, que uma oposição imoral tenta desarmar, pode ocorrer uma convulsão, uma grande tragédia. Talvez seja bom, o país encontrará seu rumo, talvez, morra muita gente inocente, o que será profundamente desagradável e triste, porque a morte é um negócio irreparável, o maior bem de um indivíduo, embora muitos não mereçam viver.

 

A sociedade deve despertar para um fato: o Brasil vai mudar, a despeito de muitos que lutam para não acontecer.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2185 2184 2183 2182 2181 2180 2179 2178 2177 2176   Anteriores »