Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Medidas populares.

12/06/2019

 

Nos chamados primeiros 100 dias de governo o presidente Jair Bolsonaro propôs novas regras sobre o porte e propriedade de armas e, em seguida, determinando a não recontratar os radares de controle de velocidade nas rodovias federais. Agora, mais recente, foi ao Congresso pessoalmente levando Medidas Provisórias objetivando maior flexibilização no prazo das carteiras de motoristas, aumento para 40 pontos para os casos de suspensão dos motoristas infratores.

 

Como a oposição agora tudo que o presidente da República faz é ruim, contraria até os interesses nacionais, de uma coisa estou certo: só as mentes obtusas, contrárias ao sistema que está sendo implantado pode achar ruim as medidas que estão sendo colocadas em prática pelo presidente Bolsonaro.

 

Acho que a oposição deva existir, ela é importante, modo próprio de pensar, mas não pode ser burra, totalitária, inconsequente.

 

No caso da proibição do porte de arma, no Brasil, tudo não passou de um procedimento desonesto, burro, inconsequente. Fizeram um plebiscito nacional para ver se a população era contra ou a favor do desarmamento. No plebiscito, a sociedade foi avassaladoramente contra o desarmamento, mas forjaram um tal de decreto legislativo, aprovando o Estatuto do Desarmamento, num dos mais vergonhosos processos de ludíbrio de uma sociedade que jamais gostaria de andar desarmada mas, premida pelas mentiras, aceitou o desarmamento imposto pelas esquerdas de forma indecente.

 

Qualquer motorista consciente sabe que se constitui numa vergonha esse amontoado de redutores de velocidade espalhados pelas rodovias nacionais, num indecente caça níqueis, tamanha as aberrações.

 

Deve merecer, próximo ao núcleo habitacional, cidades, radares solicitando diminuição de velocidade mas, o que está espalhado pelo país, só agrada ao senador capixaba Fabiano Contarato (Rede), entrando na justiça para barrar a decisão do governo de impedir a proliferação de redutores eletrônicos de velocidade.

 

Sem nenhum argumento válido, à proporção que o indivíduo passa dos 60, o prazo de concessão de sua autorização para dirigir, diminui, quando se sabe que o indivíduo, quanto mais velho, mais responsabilidade e segurança alcança no volante.

 

Aqui no Brasil, o negócio é ser contra quem assumiu o poder de qualquer maneira, simplesmente numa formula cretina de se fazer campanha contra quem está no poder.

 

Todas as medidas adotadas pelo presidente Jair Bolsonaro até o momento foram altamente positivas.

 

Quem não estiver vendo, é porque é cego...

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Escola para a vida.

11/06/2019

 

Está sendo montado o mobiliário de uma nova Escola Para a Vida, da administração Regional do SESC no Estado do Espírito Santo, que funcionará dentro do Centro de Atividades “Ernane Galvêas”, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim, cabendo ao educandário o nome de uma das mais respeitáveis figuras da educação do estado do Espírito Santo, a professora Maria Stella de Novaes.

 

O economista Ernane Galvêas, filho de Cachoeiro de Itapemirim, com seus 94 anos, está bem vivo, para satisfação dos seus numerosos amigos, com uma lucidez impressionante e, um milagre, trabalhando ainda, quando todo mundo no Brasil almeja se aposentar aos 55 anos. Ernane Galvêas, economista, filho de Cachoeiro de Itapemirim, figura numa relação dos 30 homens mais inteligentes do Brasil, sem favor algum. A professora Maria Stella de Novaes nasceu em Campos de Goitacazes, Estado do Rio de Janeiro e, era filha do médico Manoel Leite de Novaes Mello e Maria de Souza de Novaes Mello. Seu pai, médico, radicou-se em Cachoeiro de Itapemirim, onde Maria Stella de Novaes passou sua infância. De acordo com os registros, a professora Maria Stella de Novaes veio ao mundo em 18 de agosto de 1894, no quarto nº 25 do Grande Hotel Gaspar, situado na Praça São Salvador, onde o casal estava hospedado, em viagem do Rio de Janeiro para Cachoeiro de Itapemirim e, logo que puderam, seguiram viagem para a Fazenda Monte Líbano, de propriedade dos avós maternos de Stellinha (como era chamada em casa)

 

Professora no Colégio Estadual de Vitória, autora de diversos livros, profunda estudiosa de botânica, a professora Maria Stella de Novaes, com quem convivi por um largo período era de uma rara inteligência, capaz de prender a atenção de seus interlocutores pelo seus conhecimentos e educação.

 

A administração Regional do SESC, com suas Escolas Para a Vida, em vários municípios do Estado, inclusive em Vila Velha e Cariacica, na Grande Vitória, são as mais conceituadas e construídas para atravessar os tempos, ficar na memória dos alunos que por elas passarem.

 

Nesse verdadeiro monumento de atividades sociais e educacionais construído pela Administração Regional do SESC, em Cachoeiro de Itapemirim que, brevemente, abrirá suas portas à juventude do município, será mais uma referência da cultura do Estado, ostentando nomes como o do economista Ernane Galvêas e de Maria Stella de Novaes, duas figuras altamente prestativas, homenageadas pelos seus relevantes méritos e serviços prestados ao Estado e ao país.

 

 

FONTE: JORNAL A GAZETA


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2165 2164 2163 2162 2161 2160 2159 2158 2157 2156   Anteriores »