Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



500 anos de desmandos.

10/08/2019

 

O Brasil tem, depois do mais imoral estado de impunidade em que vivemos, todo seu conjunto social, pela ausência de um sistema judiciário decente; uma população com um percentual de 72% de analfabetos funcionais; um Congresso Nacional formado por uma expressiva maioria de delinquentes que não podem ser presos por terem foro privilegiados.

 

As estatísticas mundiais revelam  os países que seus políticos possuem foro privilegiado: 1) Estados Unidos – ZERO; Alemanha – 01; Portugal – 03; Brasil – 58.660.

 

Tenho certeza que 10 (dez) Bolsonaro e sua turma, em mandatos seguidos, não extirparão a montanha de imoralidades que gerou-se nos 519 anos de descobrimento do Brasil.

 

Ainda não tivemos uma revolução, com o monte dessa gente toda, porque o brasileiro, por índole, é muito covarde.

 

Veja que, estão presos refinados ladrões políticos (a Justiça é intocável), que se julgam santos homens e, de trás das grades, jogam pedras em quem foi eleito regularmente é quer consertar o Brasil.

 

Ou Bolsonaro enlouquece essa canalha, de vez, ou estaremos irremediavelmente perdidos.

 

Tenho dito..

 

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

No mundo do faz de contas

09/08/2019

 

Disse Danti Alighieri, em sua “Divina Comédia” que “O caminho do inferno está povoado de boas intenções”. Na cabeça dos políticos, também.

Estão sendo programadas pelo Governo do Estado boas intenções, no campo da mobilidade urbana, pelo menos na região da Grande Vitória, como o aumento de mais duas pistas na Terceira Ponte, obras para 4 terminais do novo aquaviário, e rebate, com propriedade, os seis meses determinados pela justiça para colocação de redes de proteção aos suicidas na Terceira Ponte. Não fala nada da destruição e nem da reforma do Terminal de Itaparica, em Vila Velha.

Com o crescimento da região metropolitana da Grande Vitória, fazer obras para acrescentar mais pistas na Terceira Ponte será uma tarefa impossível, não pela obra em si, mas pelo tumulto que ela irá gerar no transito da região. Se uma simples obra de melhoria na av. Leitão da Silva marcha para os dez anos; se dezenas de obras estão paradas e se arrastam no Estado, como aumentar, a um custo exorbitante, a capacidade de pistas de rolamento em uma ponte, se existe necessidades premente de se fazer mais duas pontes sobre a baia de Vitória?

Hoje, a região da Grande Vitória tem picos elevados de trânsito em três horários, e em três locais distintos: nas Segunda e Terceira ponte e no elevado de Carapina, de 7:00 às 10:00; de 11:30 às 13:30 e de 17:30 às 19:30. Pela manhã, vindo para Vitória e, pela tarde, em demanda aos municípios vizinhos. Como os governantes andam pouco a pé, não entendem das dificuldades momentâneas de mobilidade urbana da população.

No caso do aquaviário, nos trajetos propostos, terá fluxo de passageiros, nos períodos programados, muito pequenos, não vai compensar o esforço empresarial mas, como não sei quem vai bancar a conta... deixa pra lá, para o bolso do contribuinte...

Eu sei que o Estado é muito pobre, mal e porcamente tem recursos para pagamento do funcionalismo ativo e inativo. O desenvolvimento tem que ser programado e executado com coragem, determinação e pés no chão, não de forma atabalhoada, como é feita. Colocar os pés na cabeça, é coisa de louco, daí porque o Estado não tem dinheiro para reformar seus teatros, terminar um famoso centro cultural, avenidas importantes que se arrastam num processo vergonhoso de lentidão, de assustar nossas tartarugas... políticos...

Quando criticamos as autoridades pelas suas inconveniências, elas ficam zangadas, querem que nos transformemos em colunistas sociais, para enfeitar seus egos e, assim, continuam praticando tolices. imaginando que são sábias e que os que criticam são do contra. Devem pensar que sou maluco...

Cabeça de pote não guarda boas idéias...

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2194 2193 2192 2191 2190 2189 2188 2187 2186 2185   Anteriores »