Ver Histórico



Procurar




  


Newsletter

Nome
  
E-mail
  




Links



Sábios no poder

02/06/2019

 

 

Nós, pobres mortais (imortais, só os políticos), muitos por burrice, outros por falta de interesse, não descobrimos ainda que, na atualidade brasileira, os sábios, os inteligentes, os afortunados pela sorte, os honestos, são nossos políticos, aqueles que, mercê de alheiamente dos capazes, deixaram que os aventureiro tomassem conta dos negócios públicos da nação.

Um caso raro de inteligência, de sabedoria de tudo, até para roubar, é a do político nordestino, analfabeto de pai e mãe, eleito presidente da República por dois mandatos, e que, ao deixar o governo, passou a dar palestras, conferências, até internacionais, para outros doutos em várias coisas, recebendo em recompensa uma nota preta...Acobertando propinas.

Se o caro leitor quiser conhecer hordas de inteligências para a ladroagem é só procurar uma Câmara Municipal, prefeitos em geral, deputados, governadores, senadores e deputados federais. Todos, extremamente sábios, profissionais na arte de enganar, de ludibriar a boa fé do eleitor, verdadeiros espertos!

Tem 200 anos que brada-se nesta nação, pela desenfreada corrupção nos negócios públicos. Efetivamente, tem uns doidos, políticos, que tiveram vergonha do enriquecimento através da pilhagem dos cofres públicos mas, a extraordinária maioria jacta-se até da fortuna que amealhou através dos mais infames processos de corrupção e, por tantas e boas que Lula, Temer, dois ex-presidentes e outros companheiros estão presos, sendo que alguns presidiários dizem-se perseguidos, difamados pelo único magistrado corajoso, determinado, honrado, chamado Sérgio Moro, pela limpeza profilática que tem promovido, mandando pencas de ladrões do erário público para os presídios. Herói nacional (temos raros heróis de verdade), Sérgio Moro vê sua integridade física ameaçada por notórios bandidos que, abertamente, ameaçam-no de morte e buscam que alguém faça com ele o que Adélio Bispo de Oliveira fez com o presidente Jair Bolsonaro, dando-lhe uma facada em plena campanha eleitoral, quase matando-o. Façamos tudo para preservar nosso herói Sergio Moro, bem vivo.

Toda essa trama, de perigosos ladrões contra o esforço de uns raros para moralizar a nação vem dos “inteligentes” que ainda resistem no poder e não aceitam a ordem que está sendo imposta pelo novo governo, sob o comando de Jair Messias Bolsonaro, que reuniu o ministério melhor dos últimos 200 anos de República.

 

É importante que a sociedade se una para destruir essa corja de arquitetos do mal. Confesso, não será através de meios pacíficos que construiremos uma grande nação. Temos que destruir, eliminar, esse amontoado de sábios aboletados no poder, para roubar.

 

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo

Mudança de rumo.

01/06/2019

 

Ao meio das manifestações a favor do governo Bolsonaro, foi ouvida, também, ruídos contra o governo Casagrande, que se aboletou no Governo do Estado e passou a trazer um punhado de gente de fora, sem o exame detido de suas tradições, ocasionando o que estamos assistindo, de fazer com que tenhamos pena do término do governo Paulo Hartung onde, pelo menos, tínhamos a presença de um governante mais prudente, na escolha dos seus auxiliares, comprometido com a governabilidade.

 

Qualquer observador, por menos atento que seja, com relação à desordem na segurança pública do Estado sabe que existe uma rejeição ao chamado comando, que veio de fora, sem conhecimento do Estado, numa demonstração de que, no Espírito santo, não tem gente capaz de tratar a delicada questão com mais eficiência. A impressão que o governador Renato Casagrande tem dado é a de que, as pessoas de fora, consideradas derrotadas politicamente em suas origens, não possuem nenhuma afinidade com o Estado, aportando aqui por conveniência, por interesse partidário, como se fossemos uma ilha vagabunda, tipo Cuba ou algo semelhante

 

Não é ser contra, por ser simplesmente contra pessoas de fora, que vieram para “auxiliar” na administração estadual. De atividade partidária reprovada nas urnas, encontraram abrigo aqui, na terra de cegos. No Estado do Espírito Santo o presidente Jair Bolsonaro, embora contasse com a franca oposição ao seu nome pelo governador Renato Casagrande, teve duas vitórias retumbantes, tanto no primeiro turno, como no segundo, de nada adiantando o apoio aberto do governador à figura do candidato do PT, Fernando Haddad, que teve uma derrota fragorosa em todos municípios do Estado.

 

Embora seja um homem de completo desconhecimento dos problemas de economia e do desenvolvimento do Estado, o professor Renato Casagrande está na contramão da história política nacional, remando contra a maré e fadado a fazer um governo de quinta categoria.

 

Recente, ao ver o deputado federal Amaro Neto, anunciar que começou a trabalhar para ser candidato ao governo do Estado, procurou atraí-lo para disputar, proximamente, a prefeitura de Vitória, com o término do mandato do prefeito Luciano Rezende, diante do compromisso que tem de fazer Luciano seu próximo candidato ao governo estadual, partindo para uma disputa pelo senado, diante da inviabilidade da candidatura à reeleição da senadora Rose de Freitas.

 

Pode ser, por falta de opção, que o sr. Renato Casagrande tente se eleger para o senado mas, como estamos um pouco longe ainda e ele amarrado ao PCdoB, não tenha condições de se eleger, ao menos, porteiro do cemitério de Castelo, município de sua origem, no sul do Estado.

 

 

 


Imprimir | Enviar para um amigo



« Recentes   2160 2159 2158 2157 2156 2155 2154 2153 2152 2151   Anteriores »